Blog

Amor Saudável

O amor se sustenta bem enquanto nos permite desenvolvimento e crescimento


Quando pequenos, o amor que nos une à família é suficiente. Esse amor incondicional nos oferece segurança, acolhimento, sentimento de pertença, mas, a partir da adolescência, vemos um novo sentimento surgir por outras pessoas e, quanto mais nos desenvolvemos, passamos do entusiasmo à busca de um vínculo mais duradouro e profundo.


Existe algo de maravilhoso e de amedrontador nesse ponto: o casamento promete um templo de novas experiências e de muitas alegrias ao compartilhar uma vida em comum e, ao mesmo tempo, exige total comprometimento entre os cônjuges – compromisso este que deve ser uma escolha consciente e não um dever difícil de realizar.


Há muitos motivos para um casal formar uma família, entretanto, nem todos são saudáveis. Muitas vezes, perguntamos a nossos pacientes quais são as motivações para desejar ter um relacionamento sério e, nesse momento, vemos expressões pálidas, de dúvida ou respostas prontas, como “porque é importante” ou “porque eu não posso ser feliz sozinho” ou ainda “para ter uma companhia, fazê-la feliz”.


Em “O amor que nos faz bem”, Joan Garriga afirma que “o relacionamento se sustenta bem enquanto nos permite desenvolvimento e crescimento, motivação e impulso, ou seja, enquanto continua sendo interessante para nosso próprio caminho de realização e nos permite ir abrindo nosso coração mais e mais”. Em outras palavras, o amor do casal é o caminho pelo qual duas pessoas optam por trilhar juntas, buscando evolução e realização para si e para ambos.


Garriga lembra que o relacionamento do casal é, sim, um vínculo profundo “mas baseado em um contrato, ou seja, em uma relação contratual, condicional”, isto significa que se baseia em uma troca, no equilíbrio entre dar e receber o amor para que este sentimento esteja sempre vivo e próspero. Portanto, não é função do cônjuge garantir amor incondicional ao parceiro. Tal situação gera relações de trocas desequilibradas em que só uma das partes dá amor e a outra só recebe. Amor incondicional é intrínseco e exclusivo à relação de pais e filhos.


As ordens do amor e relações saudáveis são tema do grupo de estudos e práticas terapêuticas de Consciência Sistêmica, cujos encontros ocorrem às quartas, das 19h30 às 21h30, e dos Workshops de Constelações Familiares, realizados mensalmente, aos sábados, das 13h às 20h30.


Venha conhecer e participar. Uma vida mais feliz e saudável está à sua espera!